Início / Destaques / Siseti e Prefeitura fecham acordo salarial

Siseti e Prefeitura fecham acordo salarial

Após mais uma rodada de negociações entre o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Timbó e Região (Siseti) e a Prefeitura de Timbó, as partes fecharam no final da manhã desta quinta-feira, 14 de dezembro, acordo em relação a Campanha Salarial 2017/2018 do funcionalismo púbico municipal.

A campanha iniciou com a realização da Assembleia no dia 06 de novembro, aprovando o rol de reivindicações da categoria composto por 23 itens que tratam de questões econômicas, sociais e de condições de trabalho.

Após as primeiras rodadas de negociação a categoria chegou a rejeitar em nova assembleia a primeira proposta do governo, que inicialmente havia ofertado 3,5% de reajuste nos salários.

Dando seguimento as negociações, que foi marcada do início ao fim pelo diálogo, a direção do Siseti acompanhada pelo comissão de negociação, composta por representantes eleitos em todos os locais de trabalho, fez nova contraproposta ao Poder Executivo a fim de buscar consenso.

A direção sindical, em nome da comissão e de toda categoria, reivindicou o mínimo de 4% de reajuste nos salários a partir de 1º de janeiro, aceitando a proposta de reajuste de 26,7% no valor do Vale Alimentação encaminhada pela prefeitura nas rodadas anteriores.  Proposta final que foi acatada pelo Prefeito Municipal.

Desta forma, Siseti, Comissão e Prefeitura deram por encerradas as negociações com o compromisso expresso do governo em garantir já nos salários de janeiro o pagamento do reajuste salarial, e também, o reajuste de 26,7% no Vale Alimentação, que passa a ser de R$ 280,00 ao mês.

Ficou ainda assegurado entre as partes que todos os demais itens da pauta serão tratados em 2018 com a instalação de uma comissão permanente de negociação.

Servidores Acumulam Perdas

Mesmo com o ganho real nos salários concedidos pelo Prefeito Jorge Krüger no início de 2017, os servidores públicos de Timbó já acumulavam perdas salariais que somam 5,2% em novembro de 2018.

Estas perdas são oriundas da baixa reposição nos salários no ano de 2016. Quando o ex prefeito, Laércio Schuster, de forma unilateral concedeu apensas 7% de reajuste à categoria diante de uma inflação acumulada de 11,27%.

Desafios para 2018

Tanto a direção sindical, como também, as manifestações do prefeito e sua equipe durante as negociações deste ano apontaram o desafio de seguir recompondo estas perdas durante o mandato.

Em 2018 outro desafio será a revisão dos salários mais baixos da categoria que chegam a receber um salário líquido de menos de R$ 900,00 ao mês. Um contingente grande de trabalhadores que estão espalhados por toda a administração, atuando como braçais.

E de forma geral, uma revisão no Plano de Cargos e Salários para toda a categoria.

 


Assessoria de Comunicação do Siseti

Sobre timbonet


ir ao topo