banner
Colunistas

Até onde vai a minha competência? – por Jamir Booz

No mundo corporativo alguns exemplos já são comuns, como daquele ótimo vendedor que depois de ser promovido a supervisor acabou sendo demitido por incompetência. Quem já não ouviu história semelhante? Os casos chegam a ser corriqueiros. Vivemos na era da competência onde temos que provar ao mundo e a nós mesmos que somos capazes de resolver tudo. Nessa busca incessante pelos resultados “cutucamos” o limite de nossa competência e deixamos à mostra o fato de que podemos errar.

A incompetência pode ser demonstrada na dificuldade de adaptação a novas situações. Mudanças de cargo, de setor, ou mesmo de empresa são alguns exemplos. Por falta de percepção, tentamos manter antigos hábitos e posturas que podem não ser condizentes com o novo momento e, às vezes, demoramos tanto para perceber isso, que a oportunidade, que o momento para reverter a situação, já se foi.

Quando desenvolvemos determinadas competências nos habilitamos a atuar sobre determinadas dificuldades, mas, é preciso estar atento. Não podemos cometer o equívoco de utilizar a mesma fórmula para tudo. É como o ditado popular do carpinteiro que, “para resolver o problema, basta colocar mais pregos”. Simplificar os problemas a ponto de utilizar as mesmas práticas para solucioná-los pode demonstrar uma grande incompetência, a de análise. Um experiente executivo da área comercial que é contratado por uma empresa concorrente pode estar diante de dificuldades parecidas, mas dificilmente iguais. O ambiente é outro, a cultura é outra, são outras pessoas, outros produtos, outros serviços, outros clientes, outras necessidades.

Competência é a capacidade de começar e terminar algo. Podemos ter várias competências, ou apenas uma específica. Competência também não é um dom. É um misto de experiência, conhecimento, percepção, habilidade, estudo e análise dentro de um processo contínuo de autodesenvolvimento. Tudo isso contribui para a formação de pessoas competentes.

Ninguém é capaz de solucionar tudo sozinho e nem tão pouco posar de salvador irá mudar este quadro. Compreender o que está acontecendo e a conjuntura dos fatos é uma boa forma de se posicionar diante da situação para preparar o terreno. Pode parecer estranho, mas é nesse momento que conseguimos avaliar adequadamente o tamanho do problema a ser enfrentado e, às vezes, podem ser necessários outros elementos para obter a solução.  Quando isso ocorre não demonstramos apenas competência, mas também maturidade.

 

Jamir Booz

[email protected]

Fone: +55 47 3037-3366

Nível 10 no Facebook

Topo
1
Olá,
Qualquer duvida entre em contato pelo nosso WhatsApp do Portal Timbó Net.
Powered by