Dona de brechó encontrou oportunidade de formalizar sua empresa durante a pandemia

Dona de brechó encontrou oportunidade de formalizar sua empresa durante a pandemia

14 de maio de 2020 Off Por Redação

Iniciativa surgiu após a comerciante confeccionar mais de 450 máscaras para projeto que auxilia hospitais da região

 

A crise econômica devido a pandemia do Coronavírus pegou a maioria dos microempreendedores da região da foz do Itajaí de surpresa negativamente. Para a proprietária do “Closet Schons Brechó e Ateliê”, localizado no bairro São João, em Itajaí, o período serviu para se reinventar e formalizar o seu próprio negócio. A empreendedora, Elizaine Patrícia Schons Domingues, se tornou microempreendedora individual (MEI), após participar de um projeto voluntário na confecção de 453 máscaras destinada aos hospitais da região. Com a repercussão da iniciativa no início de março, uma empresa do município solicitou a compra de máscaras de proteção respiratória para seus colaboradores e a partir daí a proprietária do brechó sentiu a necessidade de formalizar definitivamente sua microempresa.

Apaixonada por moda e brechós, Elizaine iniciou o seu projeto em 2019, em um quartinho de sua casa. Comprou algumas peças de roupas em brechós da região e colocou à venda, com divulgação nas redes sociais. Para entender melhor como levar adiante o seu negócio, a comerciante participou de capacitações ofertadas pelo Sebrae/SC sobre preços, vendas e controle financeiro, além de feiras e eventos de brechós. “Eu comecei a buscar algo que eu realmente me identificasse e que me permitisse ter mais flexibilidade, além de poder passar mais tempo com meu filho. Então tive a ideia de abrir um brechó junto com ateliê de costura, já que cresci entre linhas e máquinas de costura. Além de vender roupas novas e seminovas, ofereço os serviços de reformas de roupas, customização e algumas peças por encomenda. Vestir a camisa de uma empresa é bom, mas vestir a camisa da minha própria empresa é melhor ainda”, ressalta.

Com o decreto n° 515 do Governo do Estado, que fechou por algumas semanas os comércios, a proprietária do brechó se voluntariou no projeto Veste Vida, de Balneário Camboriú, e com ajuda da sua mãe, em três dias confeccionaram as 453 máscaras que foram doadas para a linha de frente do combate ao Covid-19, nos hospitais da região. Por conta da repercussão, as pessoas começaram a procurar a empreendedora pedindo para comprar as máscaras. “Eu explicava que era de um projeto voluntário e que eu não poderia vender. Aos poucos percebi ali, uma oportunidade de ter alguma receita durante esse período”, conta.

Depois de muitos pedidos particulares, uma grande empresa do município realizou a encomenda de 206 máscaras para os colaboradores e pediu nota fiscal para efetuar o pagamento. Foi aí, que depois de tantos adiamentos, Elizaine abriu o seu MEI. “Fiquei tão feliz porque é um passo importante para o meu negócio. Sei que muitas empresas deixarão de existir nessa pandemia, mas para a minha foi o nascimento. A venda de máscaras trouxe um socorro nesses dias, mas é uma solução temporária. Entendo que terei que me destacar e investir forte no digital para poder atender os novos hábitos e as novas necessidades dos clientes”, finaliza.

Em 2020, o Sebrae/SC irá realizar a 12ª edição da Semana do MEI 100% Digital. Entre os dias 18 e 22 de maio serão realizadas palestras, webinar e lives com conteúdos voltados para quem quer ser MEI, para quem já é microempreendedor individual e quer expandir os negócios, para aqueles que precisam se reinventar neste momento de crise, e para os empresários que querem melhorar o marketing e as vendas do seu negócio. Durante a Semana, a equipe do Sebrae/SC também estará disponível para atendimento online ao empresário e futuro empreendedor. A participação é gratuita e a programação pode ser acessada por meio da página sebrae.sc/semanadomei2020.

 


Roberta Watzko