Dr. Serafim Borges, Cardiologista do Flamengo, participa de Live da Estácio

Dr. Serafim Borges, Cardiologista do Flamengo, participa de Live da Estácio

20 de outubro de 2020 Off Por Redação

 

 

Evento lançará nova pós-graduação em Medicina do Exercício e do Esporte e abordará temas relacionados à área

 

No dia 20 de outubro (terça-feira), às 19h, a Diretoria de Medicina da Estácio, em parceria com o Flamengo e o Laboratório de Performance Humana da Casa de Saúde São José, fará uma Live de lançamento da pós-graduação Modelo Residência Médica em Medicina do Exercício e do Esporte. O evento contará com a participação do Dr. Fabricio Braga – Cardiologista e coordenador do curso de pós-Graduação em Medicina do Exercício e do Esporte e do prof. Gabriel Espinosa – Cientista do Esporte do Laboratório de Performance Humana. O convidado de honra será o Dr. Serafim Borges, Cardiologista do Flamengo. Ele é  Especialista em Cardiologia da SBC/AMB, Medicina Desportiva SBMEE/AMB, Cardiologista do Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro e ex-Cardiologista da Seleção Brasileira de Futebol. Durante o evento virtual, serão debatidos temas atuais correlacionados à saúde dos brasileiros, o Dr. Serafim Borges falará sobre as avaliações pós Covid-19 em atletas dos esportes olímpicos do Flamengo. A mediação será feita pelo neurologista e Diretor Nacional da Medicina Estácio, Dr. Silvio Pessanha Neto.

“Vejo a medicina do exercício e do esporte, dentre todas as especialidades médicas, a que mais crescerá na década que começa. A especialidade ampliará enormemente seu leque de atuação, deixando de ser uma prerrogativa de clubes ou federações esportivas, para tangenciar várias outras especialidades médicas, como oncologia, cirurgia, cardiologia, pneumologia, e tantas outras.  Ainda, ampliará as relações já estabelecidas com outras disciplinas, como educação física, fisioterapia e nutrição, tornando-se cada vez mais transdisciplinar.” –  Diz Dr. Fabricio Braga.

“Todo esse processo está sendo acelerado pelos impactos sociais da pandemia de SARS-CoV-2. O modelo assistencial caracterizado pelo acesso ao sistema quando se está doente se provou errado e insustentável. As pessoas precisam se cuidar e a ciência já mostrou há muito tempo que o exercício físico é a pedra angular nos processos de prevenção primária, secundária e terciária.” – reforça Pessanha.

Segundo Dr. Braga, “espera-se um mundo, nos próximos 5 anos, onde seguradoras de saúde precificarão nossos sinistros baseados na capacidade aeróbica, no seu peso e na quantidade de exercício semanal.  Essa revolução no cuidado que vai dos indivíduos até as corporações, tem na medicina do exercício e do esporte uma peça importantíssima. Médicos do esporte precisam ser formados com esse novo horizonte. Esse é o objetivo do nosso programa de pós-graduação. A segunda década do século XXI promete”.

A iniciativa será aberta ao público externo e as inscrições poderão ser realizadas no link: estac.io/esportes

Márcia Oliveira – Jornalista