Municípios realizam inquérito epidemiológico de Covid-19 na próxima semana

Municípios realizam inquérito epidemiológico de Covid-19 na próxima semana

4 de dezembro de 2020 Off Por Redação

 

 

Dentre 8 e 13 de dezembro, os municípios de Apiúna, Ascurra, Botuverá, Doutor Pedrinho, Guabiruba e Pomerode realizarão o inquérito epidemiológico de Covid-19. O objetivo é verificar o estado atual de circulação viral no município, subsidiar o planejamento de ações pelo Executivo local e monitorar os casos ativos. A iniciativa é uma parceria da Comissão Intergestores Regional de Saúde (CIR) e do Consórcio Intermunicipal do Médio Vale do Itajaí (Cisamvi) com a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS).

Durante os dias da pesquisa, serão aplicados em torno de 400 testes do tipo IgG/IgM em cada um dos municípios. O número de amostras calcula a aplicação dos testes e a obtenção de resultados com margem de erro amostral de aproximadamente 5%, que é considerado um nível adequado para os objetivos da pesquisa e de acordo com os recursos disponíveis. A seleção das pessoas escolhidas para os testes será de forma aleatória, com sorteio dos domicílios e distribuição geográfica por bairros ou microáreas da cidade, a fim de gerar um retrato legítimo da situação do município.

“Este inquérito permite conhecer o problema de forma mais detalhada e contribuir para o planejamento das ações de enfrentamento à Covid-19”, explica Ligia Hoepfner, coordenadora da CIR e secretária municipal de Saúde de Pomerode. Segundo ela, a testagem por domicílios sorteados de forma aleatória procura obter um cenário fidedigno à realidade do município.

“O benefício deste inquérito epidemiológico é conhecer a situação de circulação viral neste momento, que permite aprimorar as ações de enfrentamento à pandemia. É importante que a população compreenda o propósito e a importância da campanha”, ressalta José Mario Vicensi Grzybowski, professor associado da UFFS.

Os testes foram adquiridos pelo Cisamvi, que é uma instituição pública criada para a gestão associada de serviços na área de saúde, e seguiram rigorosamente os padrões exigidos pela UFFS para aplicação da pesquisa conforme padrões de qualidade. Amostras dos produtos foram testadas antecipadamente para garantir os padrões de sensibilidade e especificidade exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O presidente do Cisamvi, Ércio Kriek, prefeito de Pomerode pede a conscientização e colaboração da população para o sucesso deste estudo. “O apoio da população neste momento é primordial para garantir que a pesquisa tenha resultados válidos e condizentes com a realidade de nossos municípios. Por isso, reforço meu apelo para que, quando convidados, os cidadãos participem da pesquisa e façam o teste”, conclama o prefeito.

Nos mesmos moldes, a ação já foi executada no município de Benedito Novo, em outubro deste ano. Lá, os resultados demostraram que mais de 3% da população já tiveram contato com a doença. Este trabalho foi promovido também na cidade gaúcha de Erechim, em julho. Por meio da pesquisa, foi possível detectar se a subnotificação reflete a situação local, o estágio do município na curva epidemiológica e a previsão de pico da Covid-19.

O que você precisa saber

Objetivos principais da pesquisa:

Verificar o estado atual de circulação viral no município.

Subsidiar o planejamento de ações por parte dos agentes públicos.

Obter elementos para a fundamentação de decisões administrativas.

 

Iniciativa:

Comissão Intergestores Regional de Saúde (CIR), Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Vale do Itajaí (Cisamvi) e prefeituras.

 

Coordenação:

Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)

 

Apoio:

Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (Ammvi)

Cidades onde será aplicada a pesquisa:

Apiúna, Ascurra, Botuverá, Doutor Pedrinho, Guabiruba e Pomerode.

Instituição responsável pela coleta de dados:

Secretarias de Saúde dos municípios envolvidos.

Metodologia:

Seleção aleatória de 400 pessoas cadastradas nos respectivos sistemas de saúde dos municípios, aplicação do teste para IgG e IgM, avaliação dos resultados e aprimoramento das estratégias de enfrentamento.

Quantos testes serão aplicados:

Serão aplicados cerca de 2.400 testes, divididos em seis municípios, durante quatro dias, com coletas escolhidas aleatoriamente por sorteio e agendamento prévio.

Como será a coleta de dados:

O levantamento será realizado pelas Secretarias Municipais de Saúde observando regramentos próprios do fluxo de aplicação dos testes, cuidados sanitários, agendamento prévio e concordância do cidadão. As residências que compõem a amostra do estudo serão sorteadas aleatoriamente, logo, a equipe de pesquisa não terá qualquer informação prévia a respeito dos participantes.


Imprensa – AMMVI