banner
Brasil

Número de cervejarias registradas cresceu 23% no último ano e a exportação do produto ganha forças

Número de cervejarias registradas cresceu 23% no último ano e a exportação do produto ganha forças 1Segundo dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em 2018, cresceu em 23% o número de cervejarias registradas em todo Brasil, totalizando cerca de 889 estabelecimentos. A expansão no país é liderada pelo Rio Grande do Sul, seguido de São Paulo e Minas Gerais.

O consumidor brasileiro está cada vez mais exigente e com um perfil de consumo diferenciado, sendo atraído por bebidas especiais e diferenciadas, acrescidas de sabor e qualidade. “O público está incluindo a bebida nos hábitos e reuniões entre amigos e família, o que justifica o aumento de estabelecimentos”, afirma Ivo Mafra, diretor da DC Logistics Brasil, que viu junto com essa tendência de consumo nacional o aumento da participação do produto no comércio exterior.

A exportação de cervejas brasileiras, por exemplo, tem movimentado o comércio do país. Até abril de 2018, a exportação do produto faturou cerca de US$31,8 milhões. Os principais destinos são Paraguai, Argentina e Bolívia. “A cerveja brasileira está ganhando respeito e espaço em outros continentes. O empresário que estiver disposto a exportar deve aproveitar a oportunidade”, comenta Mafra.

Um exemplo de cervejaria brasileira que começou a realizar este investimento foi a Cervejaria Dado Bier, de Porto Alegre (RS). Em outubro de 2018, realizou sua primeira exportação, para Denver, no Colorado. A empresa enviou quatro contêineres de 40 pés, totalizando 48.400 litros e 138.240 garrafas de long neck. A DC Logistics Brasil foi a responsável por realizar o processo de exportação e projetou atenção especial para esta demanda.

“Inicialmente, a Dado Bier nunca havia realizado um processo de exportação, então, dedicamos atenção especial nesta operação, visto que, para realizar a exportação marítima de cervejas, há alguns fatores que devem ser levados em consideração, como a embalagem. As garrafas devem ser preferencialmente embaladas em caixas de papelão, palletizadas e fixadas com Filme Stretch” ressalta Diego Formiga, Customer Success de Exportação Marítima da DC Logistics Brasil.

Como título de curiosidade, nos casos de transporte aéreo, é necessário comprovar o teor alcoólico da bebida, que até 70% pode embarcar como carga geral, desde que seja adequadamente embalada. Se for maior, é considerado IMO/DGR independente da embalagem que for utilizada”, explica Formiga.

Para este ano estão previstos o embarque de 16 contêineres, que contabilizam 193.600 litros e 552.960 long necks. Já para 2020, prevê-se um total de 36 contêineres, todos de 40 pés, que somam 435.600 litros e 1.244.160 garrafas de long neck. Além disso, a empresa desenvolveu em parceria com os importadores dos Estados Unidos, uma cerveja especial para o mercado de importados, chamada de Brazilian Lager, que teve sua estética criada a partir da visão dos americanos sobre o Brasil.

“Nosso sentimento é de dever cumprido. Ajudar uma empresa a se desenvolver e expandir faz parte do nosso trabalho e, fazemos isto com muita dedicação e atenção. Pessoas movem pessoas”, finaliza Ivo Mafra.

Sobre a DC Logistics Brasil

A DC Logistics Brasil teve início em 1994, quando se consolidou atuando no gerenciamento logístico do transporte internacional. A DC propõe soluções diferenciadas, trabalhando em escala nacional e contando com 12 escritórios próprios espalhados pelo Brasil, o que proporciona mais agilidade e influi em importantes ligações entre os principais polos logísticos nacionais e internacionais. Saiba mais sobre a DC Logistics Brasil no site www.dclogisticsbrasil.com.


Letiele Paycorich – Presse

Topo