Segredos do Malte e Omas Haus entram para o Vale da Cerveja

Segredos do Malte e Omas Haus entram para o Vale da Cerveja

25 de junho de 2021 Off Por Redação

 

 

União das cervejarias da região para ações conjuntas deve ganhar novo fôlego no segundo semestre de 2021

 

O Vale da Cerveja está crescendo. Duas novas marcas aderiram ao movimento pela conquista de espaço e união do setor cervejeiro regional. A Segredos do Malte e a Omas Haus agora fazem parte da associação, que soma 12 cervejarias, além da Escola Superior de Cerveja e Malte (ESCM).

Carlos Gessner, um dos fundadores da Segredos Malte, comenta que a adesão ao Vale da Cerveja foi motivada pelo desejo de fortalecer o movimento da cerveja regional. “Nós acreditamos que esse modelo de cooperativismo vai fortalecer a presença das cervejarias para os consumidores do Vale do Itajaí e ainda favorecer o turismo, que vai viver momentos de alta na retomada depois da pandemia”, comenta. A Segredos do Malte foi fundada em 2018. No brewpub, que fica junto à fábrica na Itoupava Central, são 21 torneiras de chope.

Para um dos sócios da Omas Haus, Gustavo Kielwagen, a união das ideias e a troca de informações entre as cervejarias podem fazer com que o setor se consolide ainda mais. “Com o associativismo, vamos conseguir atingir mais consumidores e fortalecer a região”, diz. A Omas Haus é um brewpub que começou a operar em 2020, na Ponta Aguda.

Também compõe o Vale da Cerveja as cervejarias Balbúrdia, Berghain, Blauer Berg, Blumenau, Container, Das Bier, Hersing, My Beer, Schornstein e Wunder Bier, além da Escola Superior de Cerveja e Malte (ESCM). Podem aderir cervejarias que produzam até 3 milhões de litros ao ano e estejam localizadas nas cidades de Blumenau, Indaial, Gaspar, Pomerode ou Timbó.

Segundo semestre de 2021 com novidades

O presidente da Associação Vale da Cerveja, Valmir Zanetti, destaca que o planejamento para o segundo semestre de 2021 está alinhado com a retomada da normalidade no lazer e no turismo. “A pandemia atingiu as cervejarias artesanais de forma muito contundente. Agora, com um horizonte conseguindo ser avistado a partir da vacinação, entendemos que é o momento de acelerarmos”, comenta.

Assim como os movimentos de fortalecimento dos comércio local ganharam força durante a pandemia, Valmir acredita que a valorização de produtos regionais também ganhará um novo fôlego. “Teremos ações para que o público local conheça e desfrute das cervejas feitas aqui e também para que o Vale da Cerveja dê vários passos em direção a se tornar a referência nacional em região cervejeira”, afirma.

 


Marina Melz