Tecido antiviral possibilita 50 lavagens sem perder efeito contra nova cepa testada do Coronavírus

Tecido antiviral possibilita 50 lavagens sem perder efeito contra nova cepa testada do Coronavírus

11 de agosto de 2020 Off Por Redação

Produto desenvolvido por indústria catarinense recebeu mais um laudo que atesta a proteção contra a Covid-19, e pode ser usado em diversos tipos de confecções.

 

A saúde e a proteção tornaram-se prioridade na vida das pessoas e as indústrias de forma geral têm direcionado esforços para o desenvolvimento de novas tecnologias que possam mitigar os efeitos da pandemia. A empresa Catarinense Dalila Têxtil que foi a pioneira com a proposta de um acabamento antiviral nas malhas vem com mais novidades, acaba de receber a certificação de que a eficácia do produto dura até 50 lavagens sem perder o efeito contra o Coronavírus. Além deste laudo, o aditivo utilizado é 100% eficaz contra o vírus e elimina qualquer bactéria que entrar em contato com o tecido, informa mais um laudo testado pela Unicamp com a nova cepa do Covid19. A empresa que já tinha duas certificações laboratoriais está sempre investindo em novos estudos.
Com seu DNA voltado para inovação e sustentabilidade, a Dalila Têxtil acredita que este acabamento genuinamente brasileiro deu versatilidade na aplicação de bases 100% algodão e produtos sustentáveis, ampliando o leque de possibilidades. O ANTIVIRAL Dalila já foi distribuído para segmentos fitness, hospitalar, cama, mesa e banho, entre outros. O diretor da Dalila Têxtil, André Klein, destaca que essa inovação impacta o mercado da moda para melhor pelo fato das roupas começarem a unir design e cuidados com a saúde. “Essa tecnologia promove a ruptura da membrana e inibe o crescimento e a persistência do vírus na malha, com um mecanismo de ação que bloqueia a ligação do vírus nas células hospedeiras, impedindo que o microorganismo libere seu material genético no interior, reduzindo a capacidade infecciosa nas células”, aponta.

O tecido já foi testado em máscaras faciais, tecidos de confecção e outras aplicações, obtendo comprovação da redução significativa na infectividade viral e bacteriana. Os testes laboratoriais foram realizados em laboratório independente seguindo as normativas científicas reconhecidas internacionalmente, como a AATCC 100 (antibacteriana) e ISO18184 (antiviral).

Como funciona a tecnologia antiviral
A tecnologia por trás do acabamento antiviral utiliza partículas de prata para atrair o vírus com carga oposta fazendo com que o mesmo se ligue aos grupos de enxofre presentes na superfície que envolve o vírus. De acordo com a Klein, essa reação impede a ligação do vírus à célula hospedeira, bloqueando sua replicação.

O íon de prata é um antimicrobiano de amplo espectro que atua frente às bactérias causadoras de mau odor e eventuais doenças de pele. A prata é utilizada no setor têxtil, devido às suas propriedades ópticas, físico-químicas e biológicas únicas. O produto utilizado não citotóxico, ou seja, não apresenta toxinas nocivas às células. Além disso, a formulação do produto é baseada em química verde, com estabilizante natural de origem brasileira.

Sobre a Dalila Têxtil
A Dalila Têxtil é uma empresa Catarinense, com sua filial na cidade de Jaraguá do Sul, que atua há 28 anos no desenvolvimento de soluções têxteis em malharia circular para o mercado de moda nacional e da América Latina, com expertise em produtos diferenciados para a moda masculina. A empresa atua com capacidade produtiva de 500 toneladas/mês e é representada por 50% das marcas de moda masculina no market share nacional. Além de inovação com produtos diferenciados a Dalila sempre teve em seu DNA tecnologia e sustentabilidade. A Dalila Têxtil exporta seus produtos para nove países da América Latina, com representação de 20% do faturamento.


Nathália Heidorn
Presse Comunicação Empresarial