A resiliência e a visão positiva de Santa Catarina diante da crise

A resiliência e a visão positiva de Santa Catarina diante da crise

8 de abril de 2020 Off Por Redação

Por D.J. Castro
Especilista em brabding e
sócio-proprietário da Nexia Branding.

Em meio à pandemia ações positivas para ajudar as pessoas e manter a economia em funcionamento vem acontecendo. O choque global foi sentido por todos. O confinamento em massa das pessoas para conter a disseminação do vírus criou uma situação inédita e colocou todos diante de grandes questões de como agir e o que fazer.

Por todo mundo vimos as pessoas perplexas em suas casas buscando maneiras de ocupar o tempo. As empresas que podiam, estão tentando adaptar-se a um teletrabalho forçado às pressas e tentando mudar sua maneira de funcionar para atender novas demandas e sobreviver.

A digitalização imediata das reuniões mudou os hábito das pessoas e nem todas estavam preparadas. Mas também mostrou que uma nova forma de trabalhar é possível, e quem se adaptar, terá sucesso ainda maior quando tudo isso passar.

Em Santa Catarina observamos uma grande capacidade de mobilização em torno de causas e iniciativas positivas, o que mostra a força da nossa sociedade para enfrentar uma ameaça em comum. Empresários estão transformado suas indústrias em fábricas de máscaras e uniformes para os profissionais da saúde. Universidades e empresas se unido para produzir protótipos de ventiladores médicos com baixo custo e agilidade de produção com compartilhamento de projetos e integração de unidades de produção espalhadas pelo Estado. A atuação do SEBRAE-SC, com cursos gratuitos e apresentações ao vivo, as já famosas lives, com temas de interesse dos empreendedores regionais.

Além disso, no Vale do Itajaí, o movimento #vaiprodigital, que uniu empresas para criar ofertas especiais para microempreendedores para auxiliar na digitalização dos negócios. A união de artistas, fazendo apresentações ao vivo de músicas para entreter as pessoas e divulgar a música catarinense. O segmento artístico, que foi fortemente impactado pela interrupção de apresentações e espetáculos, tenta se reinventar nesse momento.

Os grupos de WhatsApp, como o criado pelo empresário Bruno Ricardo Franzmann, que conseguiu arrecadar mais de R$ 360.000 para apoiar hospitais de Itapema e que conseguiu em um dia levantar doações de R$ 65.000 para a compra de sete respiradores pelo Hospital Santo Antônio, de Blumenau. Os diversos profissionais do direito que dedicaram tempo para analisar as mudanças legais e atos do governo para poder publicar orientações para as pessoas entenderem como poderiam se posicionar legalmente diante da crise. A união das entidades patronais como, associações empresariais, posicionando-se com pautas claras diante do governo. E também, a cobertura da mídia tradicional, que teve sua audiência aumentada, por conta das pessoas em casa, e mostrou que ainda tem muita relevância em momentos de crise.

Nós ainda estamos no começo deste fenômeno que vai ter impactos duradouros na forma como vivemos, nos relacionamos, consumimos e pensamos. Ainda não sabemos como sairemos dessa fase mas podemos certeza de que como tudo na história humana, vai passar e vamos conseguir chegar fortalecidos do outro lado dessa jornada.

Nós não seremos os mesmos, o Mundo não será o mesmo e a capacidade de pensar e agir positivo, a resiliência para resistira às adversidades e a visão de um novo futuro que vão garantir que cheguemos lá.


Presse Comunicação