Atenção na hora de escolher a ração para seu animal de estimação

Atenção na hora de escolher a ração para seu animal de estimação

23 de julho de 2020 Off Por Redação

 

 

Nutrientes sinalizados na tabela nutricional garantem a saúde do pet

 

Adotar um animal de estimação tem sido a solução encontrada por pessoas ao redor de todo o mundo para superar as dificuldades do isolamento social. Os novos companheiros de pandemia, no entanto, têm necessidades que precisam ser atendidas para garantir o desenvolvimento adequado e saudável, sendo assim, a alimentação merece um cuidado especial. A ração adequada tem a capacidade de garantir os nutrientes necessários, por exemplo, para o crescimento de ossos, saúde do trato urinário e até mesmo para evitar a queda excessiva de pelos.

As exigências de nutrientes e vitaminas são diferentes para cães e gatos e mudam também conforme a idade do animal. Para saber mais sobre a qualidade do alimento que está sendo oferecido é importante ler o rótulo das embalagens de ração cuidadosamente. Os carboidratos são importantes e devem constar na tabela nutricional, pois são os responsáveis por oferecer energia. As gorduras e proteínas também devem receber atenção especial, de acordo com José Humberto de Souza, gestor da Agroforte, empresa que fornece matéria-prima para a produção de ração para pets para diversos países. “A gordura e a proteína de origem animal tem uma qualidade superior, além de serem mais palatáveis e de digestão facilitada. O óleo proveniente do processamento de resíduos de peixe oferece ômega 6 e 3, além de outros em ácidos graxos essenciais, fundamentais ao bom desenvolvimento de filhotes”, pontua. Humberto alerta ainda para a atenção à qualidade desse produto. “Uma boa ração precisa ser fabricada utilizando ingredientes de qualidade. O processamento do resíduo animal deve obedecer a regras rígidas para garantir que nenhum nutriente seja desperdiçado”.

O processamento de pescados, por exemplo, resulta em uma fonte proteica com menor quantidade de material mineral do que a obtida com carne e ossos. Na Agroforte, uma das maiores indústrias de proteína de pescados do país, são processadas até 200 toneladas de sobras de peixes por dia. O material é coletado de filetadoras e peixarias do litoral catarinense e levado até a sede da fábrica em Biguaçu, na Grande Florianópolis. “Os sobras de peixes não aproveitados pela indústria alimentícia chegam até nós, são processados e transformados em farinha e óleo. Isso chega a representar até 70% do total do peixe”, explica Humberto. Esses produtos são comercializados com indústrias de ração para cães, gatos e camarões do Brasil, Mercosul e países do continente asiático.

Além de contribuir com o estado de saúde geral dos animais, uma boa ração é capaz de prevenir doenças, principalmente, do trato urinário e de fortalecer todo o sistema imunológico, refletindo em um pet mais disposto e saudável.


ESTRUTURA de Comunicação