Escola Isolada Mulde Central é restaurada para uso público e preservação da história

Escola Isolada Mulde Central é restaurada para uso público e preservação da história

7 de maio de 2020 Off Por Redação

A antiga Escola Isolada Mulde Central está passando por uma grande reforma. Através de uma concessão de uso do bem público, a Prefeitura de Timbó passou os cuidados do imóvel para a Associação de Moradores do Bairro Mulde.

Todo trabalho na escola busca preservar ao máximo a arquitetura antiga Inclusive um quadro negro escolar antigo será restaurado e envidraçado para servir de painel.

Segundo o presidente da Associação, Wilmar Vienhage, graças à parceria com a Prefeitura de Timbó está sendo possível restaurar o imóvel e transformá-lo para o uso da comunidade. “Vamos preservar nossa história e tornar a antiga escola um ponto turístico. Um local para comercializarmos a agricultura familiar da comunidade e de parada para os visitantes do cicloturismo”.

A Escola Isolada Mulde Central foi fundada em 1941 (79 anos). Sua primeira professora foi Vera Kellermann. Com o passar dos anos, o imóvel foi se deteriorando. Sua restauração é um pedido antigo da comunidade local, que vai manter viva a história da localidade.

Mais patrimônios restaurados

A Prefeitura de Timbó já vem há alguns anos buscando resgatar a cultura de suas tradições através da conservação de prédios públicos. Esse foi o motivo, por exemplo, da aquisição da Sociedade Recreativa e Cultural, no Centro, para transformá-la num grande mercado público, resgatando a história, promovendo lazer, turismo e economia.

Também vem sendo restaurado o prédio da Escola Rural de Timbó, na Rua Pomeranos. Ela foi a primeira escola do município. O imóvel, junto com a Casa do professor (ao lado da escola), foram tombados como patrimônio histórico pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan. De acordo com a empreiteira responsável pela restauração a pior parte, que consiste na troca do madeiramento estragado, já foi realizada.

A previsão é que a obra seja entregue entre os meses de agosto e setembro. “Inicialmente o que ficou decido junto com o Iphan é que o imóvel irá abrigar os cursos de artes manuais da Fundação Cultural, além é claro, servir de visitação aos turistas”, disse o presidente da Fundação de Cultura e Turismo do município, Jorge Ferreira.

 

Assessor: Sócrates Prado
Fotos: Sócrates Prado e Arquivo Público Prof. Gelindo Sebastião Buzzi