Secretaria da Infraestrutura estuda cinco rotas possíveis para implantação do transporte marítimo na Grande Florianópolis

Secretaria da Infraestrutura estuda cinco rotas possíveis para implantação do transporte marítimo na Grande Florianópolis

30 de outubro de 2020 Off Por Redação

 

 

A Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade (SIE) firmou, em agosto, um Termo de Cooperação Técnica com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para realizar a análise prévia da viabilidade econômica, ambiental e técnica dos estudos existentes para implantação do transporte marítimo na Grande Florianópolis.

Durante a reunião semanal da última quinta-feira, 29, o secretário da Infraestrutura, Thiago Vieira, técnicos da SIE e consultores do BID trataram sobre os estudos que analisam as possibilidades para identificação de alternativas e definição de rotas, sistema de barcas e ferry boat; modelagem de negócio e concepção de terminais; intermodalidade; calibragem de demanda; transporte elétrico; e a instalação de terminais integrados, com estacionamento para veículos e bicicletário.

Em princípio, as cinco rotas que estão em análise são as travessias entre Tijuquinhas e Canasvieiras; Biguaçu e Santo Antônio de Lisboa; São José (Barreiros) à região central de Florianópolis (Centrosul); Beira Mar de São José e Beira Mar Norte; e Palhoça (Pontal) e Tapera.

“Realizamos mais um passo importante para a implantação do transporte aquaviário na Grande Florianópolis. Os consultores do BID e os técnicos da SIE estão fazendo uma análise técnica aprimorada para culminar na melhor proposta. O estudo ainda está na fase de modelagem, que será debatido com as Prefeituras dos municípios envolvidos e outros atores importantes para o processo. Tenho a convicção de que estamos trilhando o caminho adequado e bem estruturado para que, enfim, tenhamos a travessia marítima entre Ilha e Continente”, destaca Vieira.

Entre os pontos avaliados para a definição das rotas estão a acessibilidade viária e de passageiros; unidades de conservação; zoneamento de uso e ocupação, topografia do terreno, desapropriações do lote; componente sazonalidade e aptidão multimodal.


Patricia Zomer
Vanessa Pires
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade