Consumo de pescados aumenta durante a pandemia e empresas do segmento projetam crescimento para 2021

Consumo de pescados aumenta durante a pandemia e empresas do segmento projetam crescimento para 2021

24 de maio de 2021 Off Por Redação

 

 

O anuário da Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR) mostra que a piscicultura cresceu 5,93% em solo brasileiro no ano passado.

 

A pandemia do Coronavírus mudou o hábito de milhares de pessoas. Com o isolamento social, muitas famílias passaram a fazer novas escolhas voltadas à alimentação, por exemplo. Com a queda nos preços, de fácil preparo e com inúmeras possibilidades de receitas, o peixe vem ganhando cada vez mais espaço no cardápio dos brasileiros. É o que mostra o anuário da Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR). A publicação revela que a piscicultura cresceu 5,93% em solo brasileiro em 2020, crescimento que é resultado do aumento do consumo. Motivados com os números positivos e alta demanda e consumo, os negócios do segmento projetam crescimento para 2021.

A quaresma, período em que é forte a tradição de não comer carne vermelha antes da Páscoa, foi o principal momento de vendas do segmento até agora. De acordo com o gerente comercial da Costa Sul Pescados, de Navegantes, Santa Catarina, Geraldo Neves, a procura por peixes com valores mais acessíveis foi maior e os mercados, autorizados a funcionar durante a pandemia, foram os principais responsáveis pelo aumento de vendas, a partir do mês de maio de 2020. “No ano passado, o período da Quaresma foi bastante impactado pelo Coronavírus, já que foi em março que a pandemia de fato teve maior efeito. A partir deste momento, o hábito das famílias mudou, permanecendo mais em casa, e consequentemente, o mercado de proteínas, que engloba o de pescados, teve um crescimento significativo”, afirma.

Crescimento do setor

Apesar das dificuldades, Neves aponta que a empresa Costa Sul Pescados cresceu 35% em relação ao ano anterior. “Enquanto negócio, nós ainda precisamos nos preparar para crescer. As perspectivas para 2021 são positivas e a nossa meta de crescimento do ano é de 15%, número que já ultrapassamos. Hoje, já atingimos 25% de crescimento, 10% acima do objetivo inicial”.

Com a mudança de hábitos de consumo, as grandes redes de atacarejo e supermercados também cresceram e inauguraram novas lojas em números expressivos pelo Brasil, o que igualmente impactou positivamente no aumento de vendas da Costa Sul. “Nós fortalecemos ainda mais a operação em território nacional, focando nas regiões norte e nordeste. Em âmbito nacional, somos líderes no mercado, principalmente com a comercialização para grandes redes de varejo”, avalia Neves.

Pela crescente demanda, o gerente comercial da Costa Sul Pescados destaca que 50% dos itens vendidos são importados da América do Sul e Ásia. “Precisamos nos antecipar para não ficar sem produtos. Prevendo essa alta demanda, a empresa se preparou para isso e se antecipou no mercado, com contratação e ampliação da fábrica”.

Por fim, Neves explica que outro ponto que impulsionou o aumento de consumo de pescados é o fato do peixe ser um ingrediente muito versátil, nutritivo e que possibilita uma refeição rápida e cheia de sabor. “Nos últimos tempos vem se desmistificando que o peixe é um prato complexo. A Costa Sul, por exemplo, busca descomplicar a vida dos consumidores, apostando em produtos que facilitem o preparo, como o Kit Paella, item que acompanha todos os pescados necessários para preparar a receita, deixando as compras muito mais práticas”, conclui o gerente comercial da Costa Sul Pescados, Geraldo Neves.

Sobre a Costa Sul Pescados

A Costa Sul está no mercado desde 1989, atuando no setor de pescados e vem investindo constantemente em qualidade, tecnologia e recursos humanos. Diariamente são manipulados diversos tipos de pescados em seu parque industrial localizado em Navegantes, Santa Catarina. Suas instalações compreendem 16.500m² de área construída, com alta tecnologia e seguidos investimentos em seu parque industrial.

 


Bruna G. Ziekuhr – Presse