Diabetes: especialista alerta para perigo da doença silenciosa

Diabetes: especialista alerta para perigo da doença silenciosa

12 de novembro de 2020 Off Por Redação

 

 

Em 2020, calcula-se que 9,3% dos adultos, entre 20 e 79 anos, vivem com diabetes

 

O Dia Nacional de Combate ao Diabetes, 14 de novembro, deve servir de alerta para a doença metabólica crônica causada pela falta de insulina no organismo ou pela incapacidade de produção do hormônio pelo pâncreas, o que causa a elevação dos níveis de açúcar no sangue chamada hiperglicemia. De acordo com o Atlas do Diabetes da Federação Internacional de

Diabetes (IDF), o Brasil é o 5º país com maior incidência da doença no mundo, com 16,8 milhões de adultos, com idades entre 20 a 79 anos, perdendo apenas para China, Índia, Estados Unidos e Paquistão.

A médica endocrinologista e professora do curso de Medicina da Estácio de Jaraguá do Sul, Dra. Ângela Beuren, aponta que as estatísticas mostram que uma em cada duas dessas pessoas não sabem que são diabéticas e que a cada 6 segundos uma pessoa morre de complicações da doença. No Brasil, 9.4% da população tem diabetes. “As estatísticas mundiais apontam que 10% da população com diabetes apresenta o tipo 1 (diabetes da criança) e 90% apresenta o tipo 2 (diabetes do adulto). Mais de 50% das pessoas com diabetes tipo 2 teve seu diagnóstico feito acidentalmente e sem manifestação prévia de sintomas sugestivos da doença”, alerta a médica endocrinologista.

Ainda de acordo com a médica, os sintomas clássicos do diabetes incluem excesso de sede (polidipsia), excesso de urina (poliúria) e excesso de apetite (polifagia). “Mas é importante ressaltar que mais da metade dessas pessoas não apresentam sintomas típicos de diabetes”, destaca a Dra. Ângela Beuren.

Ela explica ainda que o diabetes tipo 2 apresenta um componente genético que faz com que pessoas de uma mesma família tenham maior propensão para adquirir essa condição. Por outro lado, fatores ambientais como uma alimentação desregrada e a ingestão excessiva de carboidratos e gorduras podem levar a uma condição de obesidade, que aumenta o risco do desenvolvimento de diabetes.

“O diabetes não tem cura, mas pode ser adequadamente controlado por pessoas bem informadas sobre a doença e que seguem rigorosamente as orientações médicas recebidas. É muito importante a realização de acompanhamento médico, por isso a busca por um endocrinologista se torna primordial”, finaliza Ângela.

Vestibular

Estão abertas até o dia 15 as inscrições para o MEDVest, o Vestibular Unificado de Medicina da Estácio, que reúne todas as praças da instituição – Jaraguá do Sul (SC), Rio de Janeiro (RJ), Angra dos Reis (RJ), Ribeirão Preto (SP), Alagoinhas (BA), Juazeiro (BA), Juazeiro do Norte (CE), Canindé (CE) e Cáceres (MT)  – que oferecem curso de Medicina. As inscrições podem ser feitas por meio do site medvest.com.br e a avaliação, constituída de prova objetiva com 30 questões– Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas são as disciplinas abordadas – e redação, acontece no dia 22 do mesmo mês. Esse processo seletivo oferecerá cerca de 700 vagas para o ingresso no curso de Medicina.

 

Márcia Oliveira – Jornalista