Serviços na nuvem crescem durante isolamento social e órgãos públicos reduzem burocracia presencial

Serviços na nuvem crescem durante isolamento social e órgãos públicos reduzem burocracia presencial

12 de novembro de 2020 Off Por Redação

 

 

Empresa de SC registrou crescimento de 307% em novos processos digitais em um período de oito meses

Os portais de serviços públicos receberam muito mais acessos devido à demanda online para concluir processos burocráticos em meio ao isolamento social provocado pela COVID-19. Por conta desse cenário, o uso de sistemas para armazenamento em nuvem, segurança e gerenciamento de dados dos cidadãos por parte desses órgãos também aumentou.

A IPM Sistemas, responsável por criar soluções em GRP (softwares de gestão pública), registrou um aumento de 307% no número de novos processos digitais nos primeiros oito meses de 2020 (entre janeiro e agosto) se comparado com o mesmo período em 2019. O índice representa processos abertos exclusivamente no Portal do Cidadão das cidades atendidas pela empresa catarinense e nos aplicativos utilizados tanto por gestores quanto pela população em smartphones, tablets e computadores pessoais.

De acordo com o estudo “Painel TIC COVID-19: Pesquisa sobre o uso da Internet no Brasil durante a pandemia do novo coronavírus” realizada pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), junto com o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), os serviços públicos on-line mais buscados ou realizados desde o início da pandemia foram aqueles relacionados ao direito do trabalhador ou previdência social (72%), documentos pessoais (46%), saúde pública (45%) e educação pública (37%). Os dados da pesquisa, feita com usuários de internet com 16 anos ou mais, mostram ainda um aumento no percentual de serviços públicos realizados unicamente pela internet, sem necessidade de uma ida a qualquer posto de atendimento.

Atividades que agora podem ser concluídas facilmente pelo autoatendimento via internet – como emissão de documentos, preenchimento e envio de formulários, e pagamentos de taxas e impostos – tiveram um aumento significativo durante o isolamento social. A pesquisa deixa claro que as gestões públicas estão passando por um processo de “desburocratização”, pois estão recorrendo às ferramentas tecnológicas para aumentar o controle da gestão, facilitar o trabalho de servidores e reduzir a espera dos cidadãos por soluções e atendimento. O aumento no total de processos feitos pelos usuários reflete os dados divulgados pela IPM: a quantidade de documentos digitalizados e armazenados em nuvem nas prefeituras clientes da empresa mais do que dobrou nesse período de oito meses, com um incremento total de 138%.

 “A digitalização dos serviços públicos é uma tendência sem volta. O essencial para atender essa demanda crescente é garantir tecnologia e suporte de maneira interrupta aos portais de serviços à população mesmo com tráfego intenso e, em paralelo, oferecer novas soluções, como o teleatendimento, que desenvolvemos durante a pandemia para humanizar ainda mais o relacionamento cidadão-servidor”, diz o presidente da IPM Sistemas, Aldo Mees.

De acordo com a empresa, entre janeiro e agosto desse ano as pessoas utilizaram 3 vezes mais a plataforma “Atende.Net”, que é um sistema de gestão pública criado com o objetivo de garantir o acesso aos serviços públicos no dia a dia da população. Nas prefeituras, o aplicativo é utilizado para a realização de diversos serviços sem que o cidadão precise sair de casa, já que tudo pode ser feito diretamente via internet. Além de oferecer maior praticidade, a ferramenta garante a inclusão, já que possui recursos para que deficientes visuais possam utilizar o aplicativo sem dificuldade.

 

Alessandro Bonassoli