Hospital Oase comprou equipamento através de cotação prévia de preços e em valor adequado ao praticado pelo mercado

Hospital Oase comprou equipamento através de cotação prévia de preços e em valor adequado ao praticado pelo mercado

18 de setembro de 2020 Off Por Redação

 

 

No início da tarde do dia 16 de setembro, o Hospital e Maternidade Oase foi surpreendido com um mandato de busca e apreensão em suas dependências. Tratava-se da apreensão de uma bomba injetora de contraste, que foi adquirida recentemente pelo Hospital.

A direção explica que esse equipamento, após pesquisas de mercado seguindo as políticas internas do Hospital de seleção de fornecedor, foi adquirido em 21 de julho de 2020 da empresa Famarc do Brasil Vendas e Locações de Equip. Médicos, sediada em Curitiba- PR, a qual apresentou orçamento prévio, nota fiscal e entregou o aparelho novo e em perfeitas condições.

O equipamento é necessário para a realização da automação da injeção de contraste, aumentando o número de exames, especialmente neste período de pandemia da Covid-19. Com o uso deste equipamento evita-se o contato do técnico com o paciente, diminuindo o risco de contágio da doença por exemplo.

A compra do equipamento (bomba injetora de contraste) foi realizada em valor de mercado e a mercadoria chegou ao OASE fechado e devidamente armazenado em sua caixa, sem ter sido utilizado previamente. Após a primeira utilização apresentou problemas em seu painel, quando então o Hospital entrou em contato com a assistência técnica autorizada para correção, a qual teve acesso a todos os dados do produto, inclusive número de série. Após ajustes o equipamento passou a ser utilizado ajudando no enfrentamento a Covid -19.

Além das informações repassadas à assistência técnica, o Hospital realizou a compra dos insumos de empresa igualmente autorizada que exige a informação do número de série do aparelho. Diante desse movimento é que as autoridades conseguiram rastrear o paradeiro do objeto de furto na cidade de São Paulo, sic.

Importante esclarecer a população, que com o recolhimento do equipamento o Hospital não deixará de fazer os exames. Estes continuarão a ser realizados, contudo com capacidade menor e maior risco de contaminação (paciente e técnico).

O setor Jurídico do Hospital Oase já entrou em contato com a empresa fornecedora que afirma ter todos os documentos relacionados a compra da bomba injetora de contraste, inclusive se colocou a disposição de enviar outro equipamento para atender as necessidades do Hospital. A empresa ainda afirma estar à disposição do Poder Judiciário para esclarecer os fatos.

Agradecemos a compreensão da comunidade e de nossos parceiros e, reforçamos nosso compromisso de atuarmos de forma ética e transparente.