Coronavírus em SC: Matriz de risco mostra 12 regiões catarinenses em situação grave

Coronavírus em SC: Matriz de risco mostra 12 regiões catarinenses em situação grave

8 de outubro de 2020 Off Por Redação

 

 

Santa Catarina contabiliza doze regiões classificadas em estado grave em relação ao novo coronavírus, de acordo com os dados da Matriz de Avaliação de Risco Potencial para Covid-19, atualizada nesta quinta-feira, 08. Em relação ao levantamento da semana passada, a única alteração foi na região da Foz do Rio Itajaí, que  passou do patamar alto para grave (cor laranja) no mapa. As únicas regiões com classificação de risco Alto (cor amarela) são Xanxerê, Oeste, Serra catarinense e Médio Vale do Itajaí.

A ferramenta ainda emitiu dois alertas: um para as regiões Carbonífera, Extremo Sul e Laguna, onde a mortalidade por Covid-19 na semana ultrapassou 2 /100 mil habitantes e os dados apontam que a pandemia continua em expansão. Já nas regiões da Grande Florianópolis e Alto Uruguai Catarinense, o alerta foi para o quesito transmissibilidade. Nestas localidades, houve um aumento do número de casos ativos em relação à semana anterior.

Atualizações na ferramenta

Avaliação do Risco Potencial passou por atualização diante do novo momento da pandemia, propondo um foco maior na atenção primária e fortalecendo as ferramentas de acompanhamento para detecção do comportamento do novo coronavírus no estado.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, o aperfeiçoamento da nova matriz traz maior sensibilidade diante de cenários de melhora ou de piora. “O Estado de Santa Catarina tem o melhor enfrentamento à pandemia do país. Com esses dados, podemos atuar com total segurança nos surtos que podem vir a acontecer, para reduzir ou evitar o impacto da segunda onda, que já vem atingindo outros países e estados”, acrescenta.

A matriz de risco potencial das regiões foi atualizada durante a semana no site www.coronavirus.sc.gov.br e os dados foram divulgados preliminarmente aos municípios catarinenses.


Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde – SES